Buscar

DÊ FEEDBACK PARA SEUS CANDIDATOS.

QUANTAS VEZES VOCÊ FEZ UMA ENTREVISTA E NUNCA TEVE RETORNO?


Uma das coisas que me incomodaram quando comecei a procurar emprego há muito tempo atrás, era a falta de retorno das entrevistas pelas quais tinha passado. Aquilo me intrigava e incomodava, mas achava que estas eram as regras estabelecidas e seguia em frente.


Quando me tornei um Headhunter há 22 anos atrás, uma das minhas atitudes era deixar bem claro o perfil da vaga, as atividades que seriam exercidas e cobradas e às vezes o meu feedback era dado na hora para o candidato.


Conseguia mostrar para ele que o seu perfil não era o mais adequado, que poderia até aceitar o emprego pelo dinheiro, pelas condições e pelo desespero do momento, mas que não seria FELIZ fazendo aquilo a semana toda, o mês todo o ano todo.


Todos concordavam e eu os colocava no meu Banco de Talentos, ainda brincava que os colocaria no meu freezer e assim que aparecesse uma vaga com o perfil dele, colocaria no micro-ondas e "plin"... o chamaria por telefone passando as condições desta nova oportunidade.


Quando viajava para entrevistar fora de São Paulo, ficava normalmente 3 dias no mesmo processo daquela empresa, criei então um método para diminuir o stress e a ansiedade dos candidatos. Após entrevistar cada candidato, eu dizia: - Eu terei a resposta na sexta-feira, então se eu NÃO entrar em contato com você até meia noite desta sexta feira próxima...para esta vaga em questão, você já dançou...ok? Avisava também: mas não vou jogar fora seu CV, pois posso muito bem na semana que vem, abrir uma nova vaga em outra empresa da qual seu perfil seja perfeito.


Viajando e recrutando de Manaus a Porto Alegre e de Recife a Buenos Aires, cheguei a ligar do meu hotel para candidatos às 23:30 e nós dois comemorarmos muito pelo telefone.


Algumas das centenas de empresas para qual eu já prestei serviços de recrutamento e seleção, patrocinavam as análises de perfil comportamental DISC, e muitas vezes, eu sem ser remunerado por isso, fazia a devolutiva para o candidato, mostrava seus pontos fortes e onde deveria dar ênfase em desenvolver mais competências dentro daquele perfil, e esquecer de tentar ser uma coisa que nunca o faria feliz, ou por causa de pressão familiar, ou da sociedade ou mesmo interna dele mesmo.


Me lembro uma vez de ser abordado num aeroporto por um jovem todo bem vestido e sorridente, que me chamou pelo nome completo. Olá Sérgio Bogaert! Como vai meu headhunter preferido? Eu não tinha a mínima ideia de quem era o cidadão...Daí me contou que há 4 anos atrás eu tinha dado um feedback para ele depois de tê-lo dispensado numa entrevista dizendo que seu perfil era muito mais voltado a ser gestor de uma equipe de vendas, do que de vendedor externo. 


Na hora ficou chateado por não conquistar aquela vaga, mas no dia seguinte começou a procurar vagas de gerente de vendas, e me confirmou que tinha graças ao meu feedback, se motivar, se conhecer melhor e quebrar barreiras internas achando que era jovem demais, pouco estudado, sem "pedigree" familiar para sequer, pleitear uma vaga de gestor.


No aeroporto me deu seu cartão de visitas que dizia: Gerente Nacional de Vendas! Então Headhunters, Entrevistadores, Recursos Humanos, ou quem fizer entrevistas com candidatos....por favor dêem o feedback para todos eles, isso vai tomar um pouco só do seu tempo, mas poderá fazer uma grande DIFERENÇA para quem vai escutar.


8 visualizações

Todos os Direitos Reservados © 2020 SERGIO BOGAERT